quarta-feira, 7 de outubro de 2009

acho que muitos brasileiros ficam assim..


É um desfalecimento... que desce do mais alto fio de cabelo, passa pelos olhos. Eu sinto os olhos arderem. Depois meu pescoço fica duro, tenso. Meu ombros quase tocam a orelha. A espinha se enverga pra frente, fico corcunda, num ângulo normalmente alcançado apenas por profissionais de circo. Falar em circo, quando olho no espelho me sinto um palhaço. Minha cara tão próxima do pé, mas tão próxima... que o numero 42 está pra lá de 55... A vida nos prega peças e nem sempre tão divertidas como as cênicas. É um gosto amargo que vem a boca. Bendido e maldito, paradoxal mas sao dois sentimentos muito distindos, porem simultâneos na minha vida. Meu estomago grita, chegou o quinto dia útil.
Meus pensamentos se dispersam, eu tudo se embaralha em meio a cifras vermelhas...aquele $ se torna vivo, e ganha vida na minha mente, me apunhala com sua espada.. Aquele traço vertical, não um simples traço é uma espada. Que não mata, mas feri o seu orgulho, e cutuca em tempo integral direto na sua mente. Não seja bobo e não minta pra você mesmo. O $ não tem sono, não da trégua, você dorme e ele te acorda afobado no meio da noite. As vezes ele fala, pega vozes conhecidas emprestadas e fala. Porque ter medo da menininha do chamado, quando se tem esse $ na sua cola. Alias ela é tão boa quanto meu banco, te da ae uns dias antes de vir “cobrar” com juros e correções!!!

3 comentários:

  1. Surgiu um poeta...
    Caro Achista, essa é a nossa realidade.
    Daqui uns anos nos encontraremos e soltaremos aquele cominado dialogo:
    - Ei como vc está?
    - Rico! E vc?
    - Rica!!!

    ResponderExcluir
  2. Bom dia,
    Conheci seu espaço através da "torre mágica".
    Continue postando.É muito bom ler textos interessantes e reflexivos.
    Um abraço,
    Sonia.
    Conheça meu espaço e deixe um recadinho ( se quiser).
    http://saladeleituraciep280.blogspot.com

    ResponderExcluir